sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Um pouco do encontro do grupo Amigos do Trecho

Olá amigos, boa noite!!! Antes até da introdução, vamos de 2 OFFs básicos que não estão ligados ao texto do dia. Depois volto com a introdução. 
OFF 1: certamente você deve ter visto a direita da tela uma seção que redireciona para links de nossas páginas em outras plataformas, até o momento só temos o Instagram e o Ônibus Brasil. Como o Insta é mais flexível, dá pra preparar conteúdos mais rapidamente e de forma mais simples. Então correu a informação de que um ônibus da Lirabus foi roubado. Compartilhamos a foto do ônibus com o aviso e graças ao nosso aviso e ao esforço de vários outros busólogos, o ônibus foi recuperado, mais informações por lá.
OFF 2: por motivos estudantis, o nosso horário de publicação irá mudar. Atualmente nossas publicações são as sextas-feiras as 20:00, mas agora as publicações serão as sextas-feiras, mas as 15:00, horário que já havia sido testado em Novembro de 2015. Nosso formato permanece o mesmo, sem demais alterações.
De volta a introdução, no texto de hoje contaremos um pouco do que aconteceu no Encontro do grupo Amigos do Trecho, ocorrido no penúltimo sábado do ano de 2015. Boa leitura a todos!!!
Sábado, 19 de Dezembro de 2015. Como tradicionalmente ocorria no penúltimo sábado do ano, segui para o encontro do grupo Amigos do Trecho, na Rodoviária de BH. Na parte da manhã, estaríamos na Rodoviária e a tarde, seguiriamos para uma volta de MOVE. Saí de casa correndo, mas quando pisei no ônibus, lembrei que havia esquecido a câmera. Esperei o próximo, peguei a câmera e fui até a Estação Diamante no carro 30440 da Paraense, um Torino 2007 VW 17.230EOD. Cheguei a referida estação, esperei na fila do 30 Direto e veio o carro 30561 da Viação Sidon, um Vip III OF1721 BT5 com suspensão a ar. Fiquei meio insatisfeito, pois queria ir no carro 30549, que deu embarque no 30 Parador, mas ok. Coloquei o fone de ouvido e fui ouvindo a 98FM, como sempre. O ônibus foi se desenvolvendo bem pelas avenidas, até que próximo ao Centro, ocorreu o inesperado.
Ônibus que peguei pra ir até a Rodoviária de BH, mas... Foto: Adão Marcelino/Ônibus Brasil
O ônibus parou próximo ao Colégio Santo Agostinho, perto de onde orientei os motoristas da Brasil Sul a entrarem, 1 semana antes. Achei estranho por se tratar de uma linha expressa, mas continuei a ouvir minha música e ainda estava usando meus óculos escuros. E o ônibus seguia parado. Aí eu achei de fato estranho, então tirei o fone de ouvido, os óculos escuros e fui perguntar aos demais passageiros o que era. Nem tive tempo de ser respondido, pois a cobradora mandou todos descerem. Assim que desci vi que saia do motor uma fumaça estranha, então me dei conta que a viagem não teria prosseguimento. Pelo menos não naquele carro. Então a cobradora seguiu pra trás do ônibus e deu sinal pra outros ônibus darem o socorro, mas vários deles ignoraram e seguiram viagem. O único que parou foi um Torino 2007 OF1722M da Progresso, 20448, que estava na linha 1505. Ele então nos socorreu e terminamos a viagem nele. Desci na Espírito Santo e fui caminhando até a rodoviária, inclusive passei na porta do Hotel onde meus amigos ficaram hospedados. Cheguei na Rodoviária e logo encontrei o pessoal do grupo por lá. Ficamos conversando e fotografando, até que no momento que apontou na Contorno o 14305 da Cometa, que estava plotado de rosa, em alusão a luta contra o câncer de mama.
14305 da Cometa, que fez com que todos voltassem a atenção para ele. Foto minha.
Cada um se ajeitou na calçada do Pátio Leste, e esperamos ele virar para entrar no pátio. Quando ele apontou, dedos nos obturadores, olhos nos visores. Ao mesmo tempo, todos apertaram os obturadores numa perfeita sincronia, e o carro 14305 foi registrado por todos. Após sua entrada, eu e alguns fomos até a plataforma onde ele estava, para ver o carro de perto. Quando chegamos, alguns poucos passageiros estavam posando para suas fotos ao lado dele, e nós fomos também tirar nossas fotos ao lado dele, até eu entrei na onda e tirei uma também. Depois nós tiramos uma foto com ele e saímos, para clicar a saída dele rumo a São Paulo, agora mais divididos, enquanto uns ficaram na calçada, nós fomos clicar ele. E assim seguiu o resto da manhã. Ao meio-dia seguimos para o almoço, depois ficamos a toa na Rodoviária e a tarde, seguimos para o rolê de MOVE. Fomos para a Estação São Paulo, ironicamente a mesma onde eu deveria ter entrado uma semana atrás com meus amigos paulistas.
Galera reunida para clicar o 14305 da Cometa. Foto minha.
 Mas dessa vez, iríamos tomar a 65 até a Pedro I, onde pegariamos uma das linhas pra Venda Nova. Veio o carro 20571, um Mascarello Granmetro O500MA da Globo e fomos nele. Apesar da lotação, arrumei um lugar pra assentar e fui ali. Enquanto ele corria e se desenvolvia bem pela Antônio Carlos, a conversa rolava solta, sobre vários assuntos da busologia, com um tom de zueira, é claro. Ele tava bem gelado e confortável. Descemos na última estação da Pedro I, esperamos, esperamos, esperamos e veio o 10814 da Milênio, um dos poucos Padron Direto do MOVE Municipal, um Torino 2014 1724L sem portas a direita. Tiramos a sorte grande. Apesar da viagem ter sido rápida, o carro tava bacana até, o AC 1000%, enquanto a conversa rolava solta.
Carro que tivemos a sorte de pegar na 63. Foto: Moisés Magno/Ônibus Brasil
Chegando a Estação Venda Nova, bebemos água e fomos pra plataforma, onde o carro 10735 já estava nos aguardando. Conhece o 10735? Conhece sim que eu sei!!! Fomos nele até a última Estação da Vilarinho, com muita zueira. Chegando nela, logo veio o 40516 da Milênio, um Torino 2014 OF1724L, pela 62. Pegamos ele com destino a Cristiano Machado, onde retornariamos para a Estação São Gabriel. Pegamos um ônibus que até hoje não me lembro qual até a Estação São Gabriel. Iriamos ficar por lá, mas veio o carro 20596, um Granmetro B340M misto da Torres, na linha 83D, outra vez onde tiramos a sorte grande. Voltamos nele, fazendo a festa, e dessa vez eu e meus amigos nos revezamos no posto de cobrador, que estava vazio. No fim da viagem fui sentado lá, e foi bem bacana encerrar a viagem assentado ali. Chegamos ao Centro e naquele ponto alguns amigos decidiram não continuar.
Outro carro que tivemos a sorte de pegar na linha 83D. Foto: Adão Marcelino/Ônibus Brasil
Nossa meta era ir pra Pampulha, mas pra não perder a integração fomos de 65 de novo, dessa vez no carro 30601, um Millennium BRT O500MA da Auto Omnibus Nova Suissa. Inicialmente fiquei um pouco descontente, pois a empresa pratica condução econômica, o que faz as viagens ficarem mais longas, demoradas e entediantes, pois é muito broxante ver a pista livre, os outros carros ultrapassando e o seu a 50 km/H. Quando assentamos, um dos amigos fecharam o alçapão e uma mulher que estava por ali reclamou, dizendo que o Ar não estava tão gelado. E aí eu disse: "mas se fechar, o ar não circula." Realmente já havia visto ACs melhores, mas não achei. Ele não se desenvolveu bem como queríamos por causa da condução econômica mas tava bom. Ficamos na primeira estação da Pedro I e depois pegamos o 10690 da Cidade BH até a Estação Pampulha. Fui carregar meu celular, (que aquela altura estava horrível e insuportável, tanto que 2 dias depois comprei outro celular melhor) e me despedi do pessoal, pois dali iria embora. Minha intenção era ir de 6350, mas como perdi resolvi testar a combinação 50+30 Direto. Peguei o 40505 da Coletur na 50, que estava gelado, bem conservado até e corria, livre de condução econômica!
Carro que utilizei, agora sozinho, para voltar ao Centro. Foto: Adão Marcelino/Ônibus Brasil
Cheguei ao Centro, tomei um lanche e doido de vontade de chegar em casa, peguei o carro 4338 da Sidon, que estava parado na Espírito Santo, esperando pra pegar a Caetés. Se tratava de um Apache S21 Mercedes-Benz OF1722M. Ele correu bem e estava incrívelmente conservado. Como estava cansado do dia e sem celular, nem curti muito. Ao chegar na Estação Diamante, peguei novamente o carro 30440 e assim encerrei meu sábado que foi legal, bom e proveitoso, pois encontrei com meus amigos e andei muito de MOVE.
Muito obrigado por terem lido, abraços e até a próxima (já a tarde!)!

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Recebendo a APBus em Belo Horizonte

Olá amigos, boa noite!!! Estamos de volta após quase 2 meses de férias, primeiro gostaria de agradecer a todos que vieram ao blog mesmo sem ter nada novo aqui, somente em Dezembro e Janeiro foram mais de 1 mil visualizações, portanto agradeço a todos por terem feito do Ônibus Mineiro o que ele é hoje. Sobre projetos e planos, não teremos nenhum projeto específico para este ano, portanto devemos seguir as mesmas diretrizes e formato adotados em Abril do ano passado, por que em time que está ganhando não se mexe. Leves mudanças devem ocorrer, algumas já foram testadas no ano passado, mas antes de qualquer mudança, vamos avisar por aqui. Finalmente sobre o texto, no texto de hoje farei um resumo sobre o 87° Encontro da Associação Paulista de Busólogos (APBUS), que ocorreu em Belo Horizonte. Então boa leitura a todos!!!
No dia 12 de dezembro, meus amigos da Associação Paulista de Busólogos - APBus vieram a Belo Horizonte para conhecer a cidade e fotografar. E eu fui os receber. Na noite anterior, após contato intenso no whatsapp, decidi o horário que eu ia sair para os encontrar. O local acertado foi a Praça Louis Ensch, na Cidade Industrial. Seria um lugar de fácil acesso pra mim, pro ônibus e um lugar de fácil parada. Com base no horário, decidi acordar as 6:40 da manhã, e então dormi. No horário mencionado eu acordei, arrumei e peguei carona com meu pai (que estava indo fazer a renovação da Resolução 168) até a Estação Barreiro. Lá eu entrei pela passarela, passei pelos bloqueios tarifários e desci pra plataforma D para pegar a linha 32, olhando o horário vi que as 7:45 ele partiria de lá, então esperei. Veio o carro 30169 da Viação Paraense, um Torino 2007 OF1722M, um dos únicos com freio retarder, fabricado pela Voith. Exatamente as 7:45 ele partiu, e e então liguei o rádio no programa No Fundo do Baú, da Rádio 98FM. O motorista desde o início já sentou o pé, tanto que conseguiu a incrível peripécia de fazer o retarder ser ativado na primeira subida após a saída da estação. O motorista foi botinando pra valer, tanto que eu lamentei o fato de não ir até o Centro, mas fazer o quê né... Exatamente 12 minutos após o embarque, chegamos a Praça Louis Ensch, onde saltei do ônibus. Pro tédio da espera ir embora, fui mexendo no celular, até o momento onde aponta na Avenida Cardeal Eugênio Paccelli o imponente G7 1600LD O500RSD da Brasil Sul. Como combinado, acenei para o ônibus e fui respondido por uma piscada de farol. O ônibus encostou na baía e um deles me recebeu, já que ele veio na cabine.
Carro da Brasil Sul que trouxe meus amigos de São Paulo. Foto de um dos amigos que esteve conosco em BH, Anderson Moraes. 
Entrei e me identifiquei para o pessoal, e depois fui para o fundão e fui conversando com o pessoal, enquanto o ônibus desfilava pela Avenida Amazonas. Pra mim foi uma experiência especial, pois já passei muito pela Amazonas de ônibus urbano, mas em um ônibus como aquele, foi a primeira vez. Aposto que deve ter sido bonito ver o ônibus rodar pela avenida. Depois fui para a cabine e indiquei a dupla de motoristas o caminho que deveria ser percorrido: pegamos a Rua Araguari, e ao final dela, pegamos a Avenida do Contorno, mas na conversão um dos motoristas ficou com medo do ônibus entalar embaixo do Elevado Castelo Branco, então com o auxílio do segundo motorista e de um ambulante, fizemos a manobra e continuamos para a Avenida do Contorno, onde o ônibus estacionou, pondo fim a viagem de exatas 9 horas dos passageiros e da minha carona.
Outra foto dele, agora minha.
Como o check-in deles no hotel era somente ao meio-dia, quase todo o grupo foi fotografar no entorno da rodoviária e eu fui com eles. Depois, eu e um pequeno grupo nos desgarramos do grupo principal e fomos para o entorno da Praça Rio Branco. A ideia era seguirmos para um giro pelo MOVE, mas acabamos fotografando por lá e depois de muita insistência, eles adquiriram bilhetes e seguimos para a Pampulha. Embarcamos no carro 40501, um Viale BRT O500MA da Coletur, na rapidíssima 50.
Carro que fomos pra Estação Pampulha. Foto de um outro amigo que esteve conosco, Cosme busManíaCo.
No caminho fomos conversando sobre várias coisas, diferenças entre SP, BH, Curitiba, etc. Chegamos a Estação Pampulha e eles ficaram encantados com o visual. Ficamos fotografando (e conversando, é claro), e por volta de 11:15 retornamos para o Centro no carro 40555, um Millennium BRT O500MA da Rodopass, novamente na 50. O assunto foi o mesmo da ida. Chegamos ao Centro e voltamos ao ônibus, e chegando lá tive a grata surpresa de encontrar um dos administradores e representantes do grupo Amigos do Trecho, Otávio Silva, juntamente com a galera, e não só ele, mas alguns amigos já haviam passado por lá também. Ficamos lá e a pedido da coordenação, os guiei até o hotel, que ficava na Rua Caetés. Enquanto eles faziam check-in e iam a seus quartos, fui almoçar, retornei ao hotel, e em seguida fui levando partes da galera pra almoçar. Depois reiniciei minhas andanças, dessa vez com menos pessoas, apenas 2 amigos que queriam conhecer o Metrô de BH, então propus: vamos de MOVE até a Estação São Gabriel e voltamos pra cá de Metrô. Coincidentemente, o restante do pessoal também iria pegar o MOVE, mas pra Pampulha, o que me induziu a um erro: entramos na Estação de Transferência errada! Era pra entrar na São Paulo, onde pegariamos o 83D, mas entramos na Rio de Janeiro junto com o pessoal que ia pra Pampulha, mas pra nossa sorte não só tinha o ônibus para a Estação São Gabriel como ele já estava atracado: foi só entrar nele e sair pra ESG. O carro era o 20617, um Granmetro O500MA da Sagrada Família Ônibus, empresa pertencente aos Lessas da Saritur (Rápido explicativo: a família Lessa se estabeleceu no transporte. Um dos Lessa é dono do Grupo Empresarial Saritur, que tem empresa pra caramba em Minas Gerais, domina boa parte do transporte metropolitano e uma parte do municipal e fizeram muitas aquisições de empresas nos últimos 5 anos, incluindo a Sagrada Família, empresa que comprou a Itapagipe, que comprou há algum tempo a operação em BH da Autotrans, que pertence a Saritur. O outro Lessa é dono da Irmãos Lessa, empresa de fretamento e turismo na região de Belo Horizonte, inclusive eu já viajei com eles e o relato tá aqui no blog. Já um terceiro Lessa é dono da modesta empresa Translessa, que é uma empresa de turismo e tem poucos carros, todos adquiridos usados. Agora dá pra continuar, hahahahahahahahaha).
Carro que fomos para a Estação São Gabriel. Outra foto do  Cosme busManíaCo.
O único problema da linha que pegamos, é que ela era a paradora do corredor, mas fazer o que, agora era ir. O caminho foi todo zueira, risadas e trocadilhos em todo o caminho até a Estação São Gabriel. Lá fomos caminhando até a Estação do Metrô, lá eles adquiriram os bilhetes e nós descemos. Logo veio a composição 07, de construção Cobrasma-Ferconrail, e embarcamos com destino a Estação Central. Mas logo após a Estação Minas Shopping fomos informados no Whatsapp que boa parte do pessoal estava na Estação Pampulha, então decidimos que chegando na Central, seguiriamos para o encontro do pessoal. E fizemos o trajeto, mais uma vez com muitas zoeiras. Ao chegar na Praça da Estação e ver aquelas fontes jorrando água, não pensamos duas vezes: tirei do bolso tudo o que nele estava, entreguei a mochila a meu amigo e logo fui correr por entre as fontes, e saí de lá bem molhado, mas meu amigo saiu bem mais molhado. Depois do banho, seguimos para a Pampulha. Compramos bilhetes e fomos pegar o 50. Veio o 40552, de novo um Millennium BRT O500MA da Rodopass.
Carro que seguimos para a Estação Pampulha. Foto de um outro amigo que esteve conosco aqui em BH, Bruno Cândido.
Dessa vez o carro já tava com uma falha no assoalho, e debaixo do banco que sentei veio um calor que trouxe um grande incômodo na viagem toda. Ao chegar na Pampulha, achamos o pessoal e ficamos um tempo lá, indecisos, até que por fim decidimos voltar ao Centro. Na 50 veio novamente o 40501, um Viale BRT O500MA da Coletur, pra fechar o dia. Chegamos ao Centro e para mim, terminou-se ali aquele grande dia especial, de muitas experiências trocadas e muitos momentos vividos.
Agradeço a todos por terem lido, e até a próxima!!!